A magia, as artes marciais e o encantamento de Avatar: A Lenda de Aang – parte 2

E hoje publicaremos a continuação do texto da semana passada, sobre uma série que eu amei assistir com meu filhote Samuel – Avatar: A Lenda de Aang. Hoje vou contar um pouco mais sobre os personagens e fazer minhas considerações finais sobre a animação. Chega mais!

Os rapazes de Avatar (sem spoilers) 🙂

Sokka-1-

Eu tenho geralmente focado mais nas mulheres, mas não posso deixar de destacar aqui os vários personagens masculinos interessantíssimos da série. Aang, o Avatar, é um fofo, divertido, alto astral, está sempre brincando e gargalhando, mas o meu favorito no grupo principal é o Sokka. Irmão de Katara, ele é o único personagem principal que não é um dominador de elementos, e justamente por isso precisa ralar para provar ser um guerreiro de valor. Há um episódio específico que eu adoro, quando Aang, Katara e Toph estão em um nível absurdo de dobra de elementos, em que Sokka é tratado como o “café com leite” do grupo, e parte para uma busca pessoal em busca de um mestre para aprimorar seus conhecimentos de guerreiro. Começando a série ainda meio moleque, brincalhão, é nítido e crescente o amadurecimento do rapaz (sem perder o senso de humor). Difícil não se apaixonar por ele 🙂 – sim, eu me apaixono por personagens de desenho animado, e daí? :p

images (1)

Eu ia falar sobre o príncipe Zuko, o grande antagonista da primeira temporada de Avatar, mas prefiro conter os spoilers (a importância dele na história é tamanha que fica difícil falar sobre ele sem entregar demais), então resolvi falar sobre o tio Iroh, tio do Zuko. Adoro ele! Um cara que curte aproveitar as coisas boas que a vida tem para oferecer. Um bon vivant, apreciador de pequenos grandes prazeres: um bom chá (de ginseng, por favor!), uma boa comida, massagem, um joguinho de apostas… Mas, não se engane! O velhinho é um dominador de fogo poderosíssimo, o que inclui aí a impressionante dominação de raios. Boa praça, bonachão, muito tranquilo, Iroh é daquele tipo que dá um boi para não entrar numa briga, mas uma boiada para não sair dela. Eu daria uma boiada para não entrar em uma batalha com ele, isso sim!

0

Não poderia deixar de falar sobre ele! A mais repetida piadinha interna da série: o comerciante de repolhos (The Cabbage Merchand). Sabem o Senhor Barriga, do Chaves, que sempre quando chega na vila é recebido com uma pancada? Assim é o comerciante de repolhos. Toda vez que sua barraquinha entra em cena, podem acreditar, ela será destruída, e o homenzinho bradará aos quatro ventos seu eterno bordão: “Meus repolhos!!” . Um clássico de Avatar!

As meninas de Avatar (com alguns spoilers)

Vocês sabem que eu gosto de comentar e detalhar um pouco mais os personagens femininos, mesmo quando a série tem como protagonista um homem. Por que, héim? Porque sou mulher, oras. Gosto de exercitar esse olhar. Também porque acho importante analisar o papel que as mulheres estão representando nos filmes, desenhos e séries. Porque é assistindo a esses filmes que nossas crianças criam modelos de referência, e isso certamente vai refletir no mundo futuramente. Então vamos às mulheres de Avatar que, aliás, é uma série que tem personagens femininas incríveis! São elas:

Katara

b585643e34109b241883493f717a18e9

Katara é uma personagem adorável, e tem vários momentos incríveis na série. Com o decorrer das temporadas, ela vai ficando extremamente poderosa. Mas gostaria de destacar um momento super girl power dela:

A capacidade de dominar os elementos é um dom natural no universo de Avatar. O dobrador já nasce com esse poder, mas ele precisa ser treinado, aperfeiçoado. Na maioria das vezes o dobrador precisa da ajuda de um mentor pra fazer isso. Katara tem o dom da dobra da água, porém, não tem um mestre para auxiliá-la. Por que? Porque ela é mulher, babe. Tradicionalmente, na Tribo da Água do Norte, onde a nossa heroína vai buscar a orientação de um professor, as mulheres que tem o poder da dobra são curadoras, não guerreiras.

Daí que ela vai pedir ajuda para o bam bam bam lá do lugar, um tal de Mestre Pakku, e leva um NÃO, assim, na cara, combinado com um “Fique quietinha e volte para lá com as outras mulheres”. Acha que ela se conformou com isso? Que nada! Ela levanta a cabeça e desafia o tal mestre para um duelo! “Mas você vai perder!” tentam avisar seus companheiros. “Eu sei. E não me importo”.  Mostra na raça que merece a atenção do cara, e que é capaz de ser uma dominadora de água melhor até do que muitos homens. Ganhou meu coração pra sempre, ou não? A cena, linda, é essa aqui, ó, e vale a pena ser vista mesmo sem conhecer a série:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=SbkbvYXsmHY]

 Toph

1108b92b169910ab3839b2d8fa98be4a

Pra não dizerem que sou puxa saco, eu já assumo logo: Toph é minha personagem feminina favorita em Avatar.  Ela é uma dominadora de terra cega e extremamente poderosa. Filha de uma família rica e superprotetora, Toph saía escondida de sua casa para conhecer o mundo e assim transformou-se em uma dobradora autodidata. Vocês se lembram do que eu disse, né? A grande maioria dos dominadores de elementos precisa de um mestre, até mesmo o Avatar, que é o supra sumo dos dobradores! Mas não a Toph. Simplesmente ela aprendeu a dominar com uma certa espécie de toupeira cega, que tem poderes parecidos com os dominadores de elementos. Foi observando – seria melhor escrever “sentindo”, né, já que ela não enxerga – esses bichos que a menina desenvolveu sozinha suas próprias técnicas.

Tá bom pra você? Não? Pra deixar a garotinha ainda mais fodástica – desculpem, mas eu não tenho adjetivo melhor para ela – saibam que ela era habituê de uma dessas arenas de luta, o próprio Street Fighter do Reino da Terra, onde se apresentava anonimamente sob a alcunha de “Bandida Cega”. Oká? Ela se junta ao grupo principal de personagens da animação somente na segunda temporada da série, justamente para orientar Aang na dominação de terra. Com o tempo fica ainda mais poderosa, desenvolvendo sozinha técnicas para dominar metal e areia. Toph é uma menina meio “moleca”, diferente de Katara. Apesar de ter algumas inseguranças com a sua deficiência, ela adora “se exibir”, contar vantagem. É super sarcástica, crítica, quase ácida, mas com o tempo e a convivência aprender a confiar e se mostra mais amiga e carinhosa.

As Guerreiras Kyoshi

b84b6bd0998ebbb16d832ca3a155b8f9

Se a gente já enlouquece com a força das meninas de Avatar, o que dizer de um grupo exclusivamente feminino de guerreiras? E ainda daquelas que nem pensam duas vezes antes de botar pra correr qualquer engraçadinho (Sokka que o diga!). Apesar de não serem dominadoras de nenhum elemento, mostram grande poder com seus leques metálicos. Lindo de ver!

azula__s_gang_by_punker__rocker-d59nawo

Menção honrosa aqui para o trio de garotas da Nação do Fogo: Princesa Azula, a grande vilã da série; a divertida Ty Lee; e Mai (minha favorita, naquela pegada meio depressiva e mal humorada da Ravena, de Teen Titans, personagem que eu adoro!)

Considerações Finais (risos)

Sim, eu sei, praticamente defendi uma tese aqui sobre Avatar. Só queria dizer mais duas coisas, para encerrar.

Primeiro: Há uma continuação da série, chamada A Lenda de Korra (The Legend of Korra, 2012), que está atualmente no ar em sua segunda temporada, pela Nickelodeon, e que eu ainda não assisti por motivos de “sou louca e se não começo a acompanhar a série desde o primeiro episódio, deixo para assistir somente quando está completa”. Tenho ouvido muitos elogios e assim que assistir conto tudo pra vocês! Só pelo fato da encarnação do Avatar ser uma mulher já sabemos que podemos esperar muito girl power nessa continuação. (veja que lindo, abaixo, os personagens de A Lenda de Aang, já adultos, na sequência da série)

5c993646d6800f2ca58c130a91055096

Minha segunda (e última, prometo!) consideração, é: fique muito, muito longe da adaptação para o cinema de Avatar (2010), dirigida pelo  M. Night Shyamalan – um cara controverso, mas que eu adoro! Só que dessa vez ele fez caquinha MESMO. Decepcionante seria pouco para descrever. Apesar dos efeitos especiais incríveis, fãs da série são capazes de chorar de desgosto. Corra!

Avatar: A Lenda de Aang  (Avatar: The Last Airbender, 2005)

Ranking Pac Mãe
Classificação Indicativa: 10 anos
Classificação Pac Mãe:  Discordo da classificação 10 anos. A série traz alguns temas densos, como uma brigas familiares e personagens lidando com a morte, mas acredito que acima de 7 anos as crianças já podem assistir, sem problemas)
Nossa opinião sobre a série: Excelente

 

Kathy

Kathy

Jornalista, sonserina, lannister, malkaviana, dobradora do reino da Terra, distrito 3. Transmito o legado nerd ao meu rebento, Samuel, que, pobrezinho, já reclama que ninguém da escola sabe quem é Sauron e nem fazem ideia do que significa conjurar um patrono.
Kathy

Talvez você goste de:

  • Andrezza

    Adorei suas descricoes Kathy!!! Tudinho o que eu pensei tambem!! E, alias, “sou louca e se não começo a acompanhar a série desde o primeiro episódio, deixo para assistir somente quando está completa” sou eu!!!! Hahahaha!!! Beijos

  • Ângela Carvalho

    Ai que site Divo 😍😍😍
    👏👏🎊🎉Parabéns 🎊🎉👏👏👏👏
    😍E emei esse post 😊😍