A menina de 7 anos que explicou estereótipos de gênero para a Lego

Não dá pra virar a página enquanto o capítulo não terminar, não é? Sei que volta e meia falamos sobre o problema de estereótipos de gênero em relação aos brinquedos, especialmente Lego, mas a insistência do departamento de marketing em vender o Lego como um brinquedo para meninos não nos permite desistir.

A Charlotte, que tem só 7 anos, também acha que isso é errado. Tão errado que ela decidiu mandar uma carta para a Lego. Vejam só:

Querida Lego company, Meu nome é Charlotte. Eu tenho 7 anos de idade e eu amo legos mas eu não gosto que existam mais pessoas de lego meninos e quase nenhuma pessoa de lego menina. hoje eu fui a uma loja e vi legos em duas seções as meninas rosa e os meninos azul. Tudo o que as meninas faziam era sentar em casa, ir à praia, e comprar, e elas não tinham empregos mas os meninos iam em aventuras, trabalhavam, salvavam pessoas e tinham empregos, até nadavam com tubarões.Eu quero que vocês façam mais pessoas de lego meninas e deixem elas irem em aventuras e se divertirem, ok!?! Obrigada, de Charlotte

Pois é, Lego. Tudo o que a Charlotte – e a gente – quer, é que vocês insiram mais pessoas de lego meninas  nos sets já existentes. Não é preciso criar uma linha toda rosa e lilás, não é necessário fazer uma campanha de marketing especial. É só fazer o que vocês já souberam fazer um dia, lembram?

Nanda Café

Nanda Café

Feminista que faz ballet e adora cor-de-rosa. Gosta de RPG, fantasia medieval, anime água-com-açúcar e é #teammarvel apesar de Sandman ser da Vertigo. Começou a estudar Quenya, mas como não dava pra fazer isso enquanto comia, desistiu de ser elfa e admitiu para si sua natureza hobitesca.
Nanda Café

Talvez você goste de:

  • Virei fã dessa ruivinha!!!

    • Renata

      Ela é ruiva? Onde você viu isso?
      Aquela menina na parte de baixo é uma propaganda antiga da Lego, quando eles ainda não usavam esses estereótipos ridículos de gênero que usam agora pra vender seus brinquedos.

      • Carlos

        Mas por que você acha que ele está falando da Charlotte? Não dá para ele ser fã da “ruivinha”?

      • walney

        qdo a lego n propagou esteriotipos? desde q intorduziu os bonecos, SEMPRE teve lego familia. as mulheres profissionais eram soh enfermerias, ateh pq enfermagem n era profissao de homem. sempre teve “Pincesa” de veu e principe de espada. na campnah, alias, ve-se a menina segurando um castelo c um principe. mais perspicacia e menos credulidade!!

    • Ela não é a mesma menina da carta, é só a menina de uma propaganda dos 80’s quando a Lego não diferenciava gênero….

  • Ministramos um curso de Gênero como extensão universitária em Curitiba na UTFPR. Estes estereótipos de Gênero são difíceis de desconstruir mas estão aos poucos chegando ao nível do consciente! Obrigada Charlotte!

    • Fabricio

      q bacana ! Falar sobre Gênero é extremamente positivo e enriquecedor !

  • A Charlotte Benjamin não é a menina Ruiva do anúncio.
    Essa imagem foi inserida na reportagem para mostrar como era a visão da Lego Company anos atrás.

  • Dinho Rios

    Aos interessados, vejam esse documentário sobre Lego e gênero http://www.youtube.com/watch?v=CrmRxGLn0Bk

  • Anônimo

    Podem f azer por favor, fogões, cosinhas , geladeiras. bonecos, etc. etc. de todas as cores, e que contenham meninos nas caixas, homens cosinham, lavam roupas, usam geladeiras, trocam fraldas crianças vem seus pais fazerem isso ., e não podem brincar assim, é ridiculo…
    .

    • Luiz

      E quem iria querer comprar isso??

      • Ué, eu compro pro meu filho. Ele brincava bastante de comidinha, tinha até um avental de sushi man… ^^

      • Anônimo

        Eu compro para os meus três filhos. E já comprei cor de rosa, sim. Meu filho de 2 anos adora brincar de cozinhar.

      • biAh

        Meu filho sempre foi fã de legos, tinha MUITOS e seus amigos morriam de inveja e adoravam ir junto pra casa de praia, só pra ficarem no tapete da varanda, criando mundos de lego. Tentei herdar alguns, agora que ele cresceu, queria fazer umas obras de arte com eles no meu ateliê, mas ele não permitiu, ehehhe. Nem todo o ser humanos prefere eletrônicos pré-fabricados 😉

    • Algumas empresas fabricam essas coisas de maneira, em cores neutras. São mais caros, mas duram mais e vale à pena comprar. Mas mesmo com cores tipicamente femininas, se houver o interesse dos meninos pelo brinquedo, é uma oportunidade de incentiva-los e exemplificar que não existem cores de menino e de menina, né? (:

      • ana

        quando eu era criança tudo oq eu tinha era azul .-. cor tipicamente de meninos uahsuahs nem por isso cresci mais homem q o resto das meninas q soh tinham coisas rosas XD essa coisa de cor de generos nao tem nada a ver mas tb precisamos mudar a cabeça das crianças q podem ser bem cruéis com um amiguinho q tem uma boneca ou algo rosa (no caso dos meninos)

  • Anônimo

    gostaria que houvesse também maior variação dos bonecos no q diz respeito a raça. negros também brincam com lego. um empresa que se expandiu mundialmente ja devia ter uma visão ampla sobre isso.

    • Anonimaa

      Os bonecos de Lego sao amarelos ! Nao tem raça !

      • Anônimo

        boooooa

      • Anônimo

        Os Simpsons caucasianos também são amarelos, mas os africanos são marrons. Cores realmente neutras seriam azul ou verde.

      • Anônimo

        Amigos, raça não é definida por cores. Aqui estamos falando da raça humana. Segundo que é verdade, os amarelos são brancos, assim como nos Simpsons e outros (lembram de como em Doug Funnie o Skeeter era negro?). É difícil perceber e depois admitir quando notamos que vivemos com preconceitos e esteriótipos tão ultrapassados, mas o importante é abrir a mente e fazer alguma coisa.

    • oi

      Meu rapaz… de acordo com a sua reclamação todos os bonecos lego são asiáticos…

      O Lego não é fabricado pela Fox ou faz parte da franquia dos simpsons.

      Gente que nem vc que perpetua o racismo.

      • Anônimo

        e vc, que é machista? sou mulher NEGRA, seu retardado!

  • Pingback: A menina de 7 anos que explicou estereótipos de gênero para a Lego | Tahpordentro?!()

  • Danielle

    Meus alunos de 7 anos não rasuram tanto pra escrever…

    • Seus alunos de 7 anos não fizeram nenhuma reivindicação tão inteligente a ponto de se tomar conhecimento mundial.

      • Vini Carvalho

        Acho que você foi iludido ! Você acha mesmo que ela fez isso sozinha?

      • Marco Sena

        Acho que você foi iludido ! Você acha mesmo que ela fez isso sozinha? (2)

      • Anônimo

        Ótima!

      • Anônimo

        Não vejo porque ela não pode ter feito sozinha. Está em linguagem infantil. Crianças de 7 anos são crianças, não reatardados mentais.

    • Mônica

      Pô, ela escreve em inglês! Dá um desconto!
      (Sim,isso foi uma piada!)

      • Anônimo

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • leia

    This is very smart. Love and agree with her.
    Lego wake up the kids are in the future were are you guys.?????? Girls love adventure and they have fun too.

  • LN

    Tem u vídeo mutio bom expondo as mudanças q ocorreram com a Lego:
    http://www.youtube.com/watch?v=CrmRxGLn0Bk

  • Sempre tive Lego e quando me tornei adulto virei um colecionador. Estou sempre antenado. E, sinceramente, sempre houve “meninas” Lego nos sets, inclusive nos de “aventura”. Heroínas, bombeiros (mulheres), policiais femininas, e muito mais. Os kits “rosinhas” são apenas para meninas de menor idade, e trazem peças mais fofas, bichinhos e elementos que são realmente queridos do público feminino, assim como há kits “azuis” para meninos pequenos, com peças idem: carrinhos, ferramentas. Como qualquer linha de brinquedo, de qualquer marca, sempre fez e faz. Desde quando eu era criança. Sinceramente, sempre houve bonequinha de Lego em diversas linhas do brinquedo, de modo que não se especifica se são para meninos ou meninas. Discussão desnecessária ou de quem não conhece Lego de verdade.

    • Anônimo

      Na verdade, acho que você não entende bem o problema. Esse tipo de produto “ensina” as crianças pequenas o que meninos e meninas devem gostar…. veja esse video: http://www.youtube.com/watch?v=IIGyVa5Xftw

    • Olá Ciro! O seu comentário me despertou uma curiosidade, o que te leva a crer que peças fofas, bichinhos e etc são “mais queridos do público feminino” e ferramentas, carrinhos, etc são voltados para o público masculino? É exatamente disso que a carta de Charlotte trata, essa genderização necessária no box azul e no box rosa da lego. Quer dizer, o box azul e o rosa (aqueles voltados para crianças de até 4 anos) têm as MESMAS peças, mas as caixas têm de ser, necessariamente, genderizadas.

      No texto linkamos para uns vídeos que explicam exatamente o problema da separação de gêneros da Lego, que já vem sendo abordado há muito tempo por organizações de empoderamento feminino. A presença de minifigs femininas é consideravelmente menor nos sets, dificilmente sendo identificadas desde a embalagem. Uma menina de 7 anos (caso da carta) não conseguiria saber que aquele set que só tem minifigs masculinas na embalagem também teria uma fig feminina. Talvez o equívoco da Lego esteja no departamento de marketing, não no de desenvolvimento?

    • Marco Sena

      Ciro, você tem toda a razão,concordo em gênero numero e grau. Está na cara que a garota foi induzida a escrever esta carta,por um adulto querendo polemizar, já está ficando comum isso nos EUA , e a galera ainda acredita!

      • Mirian

        Marco e Ciro, desculpem, mas não entendi porque vocês acham que era um adulto querendo polemizar… Não acreditam que uma menina de 07 anos seja capaz de pensar? Aos 7 anos uma criança já pode ler, escrever e entender o mundo à sua volta! Aos sete anos eu já lia, escrevia, questionava o tratamento que eu tinha comparado ao meu irmão (venho de uma família muito machista) e já questionava, também, o fato de que eu deveria brincar de boneca, dentro de casa, enquanto meu irmão podia fazer o que quisesse, mesmo sendo mais novo. Foi por essa razão que , desde cedo, decidi brincar mais com jogos e fazer esportes, ler, estudar… De uma forma, ainda que infantil, optei por resistir ao que me era imposto. Porque incomoda tanto a vocês imaginar que uma garota de 07 seja contra a diferença entre os gêneros? Seria por que até uma criança de 07 anos é capaz de criticar os modelos que vocês acreditaram ser o correto sempre? Ciro, você diz que determinadas práticas sempre foram assumidas por marcas ou linhas de brinquedos. Por que sempre foi assim quer dizer que é o correto? A questão aqui não é entender de Lego ou não. Até porque uma criança de 07 provavelmente não acompanhou a Lego desde a sua existência, correto? Ela está falando do que ela vê, vive e presencia no dia-a-dia dela. O ponto é justamente o questionamento dela, é o fato de que ela se sente incomodada em viver em um mundo onde os brinquedos são divididos em “para meninos” e “para meninas”.

      • Viviane

        Eu aos sete anos também já resistia. Eu adorava subir em árvores, claro que me falavam que e coisa de menino, me chamava de menina-macho, ou algo do tipo, não lembro. Sempre gostei mais de quebra cabeças e jogos, jogava bola com meus primos. E adorava coisas com controle remoto o que a época não existia para meninas, os de hoje ainda são cor de rosa. Brinquei muito ocm bonecos de ação do shurato e carrinho com meu irmão. Sem contar as lutas fantasiosas de dragonball, e até hoje artes marciais me atraem.

        Antes qeu algum engraçadinho fale, eu não me torne lésbica por isso, e um menino também não se torna gay por brincar com brinquedos típicos de menina.

    • Camila

      Engraçado, meu primo sempre teve legos e como na nossa faixa de idade só tinha ele de menino a gente brincava junto, e naquela clássica caixa azul de lego só tinha 1 bonequinha mulher e o resto eram homens, se a gente queria brincar com ele ou a gente era homem ou a gente trocava o cabelinho e fingia que o boneco era menina. Então eu acho que a discussão não tem nadica de desnecessária. Entendo que vc como fã queira defender, mas abre o olho, os legos “de menino” são bem mais legais e interessantes.

  • De certa forma, eu também acho! Adoro lego e coleciono desde os 4 anos, e ia dizer justamente isso: pelo menos hoje em dia, os legos da linha “city” vêm, praticamente sempre, com pelo menos uma boneca “fêmea”: seja no caminhão de lixo, caminhão de carga, quartel dos bombeiros… e já nos anos 90 havia a linha lego “paradisa”, com peças rosa e temas de curtição na praia e sorvete, basicamente 😀
    Acho que o problema são os familiares, que dão os presentes. nos anos 80, ganhei o quartel de bombeiros e vários carrinhos, um castelinho… tinha até um caminhão cegonha (não de lego) que eu adorava! E nunca ganhei um desses legos cor de rosa.

    • Mas é exatamente o problema, Fernanda. A Lego Friends é um remake da Paradisa (que não foi muito bem sucedida) e associa elementos “femininos” a temas fúteis. Curtição na praia, sorvete, etc. Recentemente um projeto para minisets de figs femininas em profissões normais (cientista, astronauta, paleontóloga) foi aprovado em tempo recorde no Cusoo, mostrando que mesmo que haja a presença das figs femininas na linha city, ainda não é expressiva o suficiente para fazer com que garotas se identifiquem com a linha, novamente, talvez por um equívoco de marketing.

      E é justamente o marketing que faz com que os familiares escolham os presentes baseados em gêneros. Se o Lego fosse um produto tão gender-neutral assim, porque é que não vemos mais meninas ganhando os sets (que ficam no lado “masculino” da maioria das lojas de brinquedo)? (:

      • Anônimo

        Pois é! Acho que o pior problema é a separação dos legos nas lojas: As caixas azuis, subentendidas para meninos, e as rosa para meninas!… Isso influencia bastante os adultos, ao comprarem um brinquedo para as crianças, certamente! Mas ainda acho muito mais fácil e provável meninas ganharem legos da seção azul, do que meninos ganharem legos da seção rosa… 😛

  • Aretha

    Ciro, só foi ter personagem feminina de lego lá nos idos de 1998, por aí. Antes todos os bonecos do lego eram meninos.

    • Na verdade, o primeiro conjunto da lego que tinha bonecos (isso lá pros anos 70), era uma família com 3 personagens femininas e 2 masculinos 🙂
      http://gardendesk.typepad.com/.a/6a00e54efed4088834013488a9d2ea970c-pi
      Depois, nos anos 80, inventaram o minipersonagem, que quase sempre apresentava o mesmo rosto, mas seu cabelo, ou torso com colar de pérolas indicavam quando eram “necessariamente moças”. Mesmo personagens com batom, já existiam em 1992! 🙂
      Hoje em dia, a lego vende conjuntos da linha “creator” nesse espírito (todos os bonequinhos tem o mesmo rosto sorridente, sejam “moças” ou “moços”).

  • Me parece que os pais dela são uns chatos e que ditaram a carta… tudo agora é “machismo”! Se é um brinquedo tradicionalmente pensado para meninos, bastava apenas interpretar a carta como um simples pedido por mais figuras femininas nos produtos, não como um baluarte da guerra contra o patriarcado.

    Enquanto a tradição e o mercado da Lego estiverem mais voltados para os meninos, que são os maiores clientes, haverá um interesse maior na produção de figuras masculinas. Não é que a Lego seja machista, é que a economia funciona assim mesmo 😉 Para mim a carta da menina soa mais como uma sugestão para uma empresa despreparada para lidar com as frescuras de nosso mundo atual (e que não tinha consciência real de sua suposta “vilania masculinista”) do que como um “tapa na cara”.

    O esquadrão do Politicamente Correto não perdoa né? Todos têm que pisar muito fino nesses dias sinistros.

    • quando meu filho tem dificuldade em organizar seus pensamentos, eu o ajudo nessa tarefa. talvez uma menina de sete anos não tenha a coesão e a eloquência necessárias para fazer suas ideias serem entendidas, qual seria o problema dos pais ajudarem? (não que eu acho que esse tenha sido o caso)

      caso você já tenha lido o texto com seu escudo em riste, talvez não tenha percebido que a lego já foi uma empresa com um marketing mais abrangente, na época em que seus brinquedos eram igualmente vendidos para meninos e meninas. não é a lei de mercado, é o sexismo cada vez mais arraigado.

      sim, há de se pisar fino. machismo e homofobia nesses dias sinistros: não passarão! (:

  • Nelci Lopes Ribeiro

    Eu sempre fui fã do brinquedo LEGO . Em 1980 ,mais ou menos , não percebi na época diferenças de gênero, raça ou classe. O que Charlotte reinvindica me decepciona em relaçõa ao brinquedo LEGO ,afinal sempre achei o LEGO o brinquedo mais inteligente que já foi inventado e sempre presenteio as crianças com LEGO. Tenho que repensar minha avaliação em relação ao LEGO.

    • Não! Não deixe de presentear as crianças com LEGO! Só tenha em mente que é um presente adequado para meninas e meninos! (;
      Inclusive, temos quatro crianças aqui que adoram ser presenteadas com LEGO, hehe. (;

      • Priscila

        Nanda Café, sou sua fã! 😉

  • Laura

    Acho que questões como racismo e diferença de gêneros são importantes, sim. No entanto, tendo a menina de 7 anos escrito a carta acima ou não, não devemos criar polêmicas tão grandes a respeito de assuntos como esses. Naturalmente eles geram divergência de opinião, então não se deve tentar estabelecer a todo mundo uma linha de pensamento apenas. Eu sou neutra quanto à carta em si. Mas achei legal a opinião colocada. Assim será possível pensarmos sobre essa temática levantada e formarmos nós mesmos nossa própria opinão sobre ela.

  • Daniele Nogueira

    Pouco importa se quem escreveu foi uma guria de 7 anos ou um adulto querendo polemizar, tampouco se a caixa ou as peças têm a cor rosa ou azul. O mais importante aqui, foi a questão levantada sobre a desvalorização da mulher pela LEGO, demonstrada nas atividades cotidianas do jogo, ou seja, para a LEGO e a “pessoa” que escreveu, uma mulher, mesmo hoje em dia… pasmem, fica em casa, sem trabalho, vai as compras enquanto o menino vive as mais glamorosas aventuras e profissões…

  • Anônimo

    Não vejo problema em uma menina escolher uma nave star wars, na sua maioria cor prata e preto e adorar. Afinal, ali navegava a linda princesa léia.

  • Jhoni

    As mulheres que reclamam por espaço na sociedade são as primeiras a dar bonecas para suas filhas. O estereótipo é questão de educação!!

  • Pingback: Carta da LEGO sobre empoderamento infantil – pena que é dos anos 1970 | PacMãe()

  • Pingback: Menina de 11 anos escreve carta para DC pedindo melhor representação nos quadrinhos | PacMãe()

  • Pingback: Mais uma: menina de 9 anos pede à Hasbro mais atenção com as fãs de Star Wars | PacMãe()

  • Pingback: Mãe entra em contato com empresa por excluir as personagens de Big Hero 6 dos seus produtos | PacMãe()

  • Pingback: Mãe entra em contato com empresa por excluir as personagens de Big Hero 6 dos seus produtos [UPDATE] | PacMãe()

  • Pingback: Afinal, a loja Amazon deixou de vender brinquedos separados por gênero? | PacMãe()

  • Pingback: Blog | Psicoterapeuta questiona decisão da Target de acabar com setores divididos por gênero - Pac Mãe()