As Meninas Superpoderosas | Tragam as crianças para a sala porque elas estão de volta!

Hoje (04) é a estreia do reboot de As Meninas Superpoderosas no Cartoon Network e adultos do mundo inteiro estão aguardando ansiosos na frente da TV. As Meninas Superpoderosas foi um desenho que marcou uma geração e colocou a pedra fundamental para muitas mulheres se identificarem como feministas. O desenho original, que foi ao ar de 1998 a 2005, encantou crianças, pré-adolescentes e adolescentes e por mais que não enxergássemos na época, desafiou muitos estereótipos de gênero.

6-4

Eu fui uma dessas meninas que cresceu com As Meninas Superpoderosas (usei uma bolsa da Docinho para ir à escola até os 16 anos), mas quando fui assistir com o filhote o desenho original que ainda era transmitido no Cartoon Network na programação da noite, não consegui. O desenho ainda era extremamente bem escrito e engraçado, mas as piadas eram sarcásticas demais e as situações muito violentas para o meu gosto. Eu sei que adultos lêem, enxergam e entendem as coisas de uma maneira totalmente diferente dos pequenos, mas achava que ainda demorariam alguns anos para que eu pudesse compartilhar um dos meus desenhos favoritos com meu filho.

Nós fomos convidadas pelo Cartoon Network a assistir os dois primeiros episódios da nova série e, com um pé atrás, eu levei a criança comigo. Pois tirei o pé de trás e pulei completamente no vagão das Meninas Superpoderosas: o reboot consegue ser melhor do que o original. Tivemos a chance de conferir um pouquinho do backstage da produção do desenho e conversar com a Letícia Abreu, storyboarder que está trabalhando exclusivamente na série, e conseguimos entender o motivo do reboot da série ser tão maravilhoso:

1. As pessoas na produção são fãs do desenho original

Muitos roteiristas, animadores, desenhistas e até os dubladores estão na faixa etária que cresceu com As Meninas Superpoderosas, e o conhecimento adquirido através dessa série transparece. Todos os elementos que conhecemos e amamos estão lá (até o Macaco Louco!) e o desenho apela para a nostalgia ao mesmo tempo que fisga as crianças.

2. Há mulheres na produção

Uma foto publicada por Pac Mae (@pacmae) em

Letícia Abreu nos contou que mulheres são maioria entre os storyboarders, assim como o vídeo institucional. Não dá pra fazer um desenho sobre meninas sem meninas participando, por mais que o criador da série seja um homem.

3. O desenho está atualizado

WZNgbyE5e52S2j6nY0akxmJ0w72y6xpxFVY80VCXrVT1tbTob7gNiAEGaA7ypv8fO5afayWVm-300x222

Uma das principais mudanças no desenho é o telefone. Em vez de receberem os pedidos de ajuda através do amado telefone com fio, as meninas agora têm celulares que mantiveram as feições alegres e fofinhas. A escola também está mais moderna (o Cartoon afirma que elas ainda estão na pré-escola, apesar de parecer mais com o ensino fundamental).

4. Elas têm novos poderes

Além do sopro congelante de Florzinha, a super-força de Lindinha e a visão de laser de Docinho, elas agora também conseguem criar auras que complementam as batalhas épicas na cidade de Townsville. As auras têm traços de suas personalidades: enquanto Lindinha evoca animais fofinhos e Docinho, máquinas e armas de guerra, a líder certinha e organizada Florzinha evoca… materiais de papelaria.

5. O desenho agrada adultos e crianças

As produções do Cartoon Network tendem a atingir a todos os públicos – apesar de algumas delas estarem adultas demais e receberem a classificação indicativa de 10 ou 12 anos – o Cartoon é um dos canais que você senta para assistir com os pequenos e de fato gosta do que está assistindo. As Meninas Superpoderosas bebem da fonte de inspiração de Hora da Aventura, Steven Universo, Apenas um Show e conseguiu fazer um desenho extremamente inteligente e engraçado para adultos e crianças. O que apenas faz sentido, porque quem era fã vai continuar fã, e quem ainda não era, vai virar.

6. É empoderador

Cada personagem tem uma personalidade e poderes diferentes e isso não as torna piores ou melhores do que as outras. A frase principal de Docinho é “não me chame de princesa”, o que pode ser identificado equivocadamente como uma resposta aos desenhos de princesa, mas não é. Docinho é mais agitada e emburrada, mas é tão poderosa quanto Lindinha, que vive cercada de cor-de-rosa, unicórnios e coisas fofas. O desenho mostra às crianças que tudo bem elas serem quem são e como são e que não é isso que vai torná-las mais ou menos poderosas.

7. O Macaco Louco vai voltar

Não preciso dizer mais nada, né?

Essa semana será toda de estréia de As Meninas Superpoderosas, que irão ao ar todos os dias (de 04 a 08/04) às 19:30 e depois entram na grade normal do canal.

Nanda Café

Nanda Café

Feminista que faz ballet e adora cor-de-rosa. Gosta de RPG, fantasia medieval, anime água-com-açúcar e é #teammarvel apesar de Sandman ser da Vertigo. Começou a estudar Quenya, mas como não dava pra fazer isso enquanto comia, desistiu de ser elfa e admitiu para si sua natureza hobitesca.
Nanda Café

Talvez você goste de: