BoardGame | Os dez jogos mais queridos aqui em casa

Existem tantas listas que podemos fazer sobre Board Game, que resolvi começar pelos meus mais queridos, e por que gosto tanto deles. Três jogos dessa lista ainda não estão no mercado, mas participei de playtests e me apaixonei.  Nos próximos posts farei um review de cada um desses jogos.

10. Nosferatu

Nosferatu

Chamado de Party Game, ou jogos para festa, Nosferatu é um jogo que mistura tática, trabalho em equipe e blefe! De um lado estão o vampiro e seu servo, Renfield, tentando manipular os caçadores , que estão tentando descobrir quem é o vampiro para cravar a estaca em seu coração.

Gosto desse jogo pela quantidade de gargalhadas que ele rende. Como um jogo de festa, ele agrada muito todos que participam, tem muito blefe e geralmente a galera quer repetir a partida.
Nº de Jogadores: De 4 à 8
Tempo médio de jogo: 15 minutos
Classificação Indicativa: 10+
Classificação Pac Mãe: 8+
Dependência de Idioma: Nenhuma

9. Zombicide

Zombicide

Zombicide é um jogo cooperativo, que cumprimos missões diversas, enquanto fugimos de zumbis, procuramos equipamentos e encaramos a maior aventura.

Nesse jogo rola muito sentimento em meu pobre coração gamer, foi o primeiro jogo moderno que me apresentaram. Lindo e cheio de miniaturas que a gente pode pintar ( uma diversão extra), esse jogo é fácil de ensinar e as pessoas de todas as idades adoram.

O mais bacana desse jogo é que todos devem jogar por um objetivo,  se a equipe não estiver unida a missão será uma derrota, todos precisam estar alinhados. Foi mágico entrar em um mundo onde adultos, adolescentes e crianças interagem em condição de igualdade.

Nº de Jogadores: De 1 à 6 ( podendo expandir)
Tempo médio de jogo: 60 minutos ( dependendo da missão)
Classificação Indicativa: 13 +
Classificação Pac Mãe: 8+
Dependência de Idioma: baixa ( apenas nas cartas de equipamento, que pode ser facilmente decorado)

8. Survive:

survive

Os jogadores estão em uma ilha que está afundando e a missão de cada um é salvar o maior numero de pessoas e leva-las até outra ilha mais segura. Podemos ir à nado, de barco e até de carona com golfinho. mas a vida não é tão fácil, quando os outros jogadores tentam atrapalhar sua vida, e você pode ser comido por tubarões e serpentes marinhas, e seu barco destruído por baleias.

A melhor parte desse jogo é destruir os meeples do coleguinha. A bagunça que fazemos quando alguém é jogado ao mar, devorado por um tubarão ou por uma serpente marinha é impagável. Esse é um dos jogos mais engraçados de jogar com os menores porque eles aprendem muito como perder, a ter espirito esportivo.

Nº de Jogadores: De 2 à 4
Tempo médio de jogo: De 40 à 60 minutos
Classificação Indicativa: 8 +
Classificação Pac Mãe: A partir de 6 anos, à 60.
Dependência de Idioma: Nenhuma

7. Império Lendário

Império Lendário

É o primeiro Civ-Game brasileiro, ou seja, que simula construção e desenvolvimento de uma civilização. O jogo acontece no decorrer de eras, com personagens históricos, construções e maravilhas da humanidade e eventos que podem mudar o rumo da sua civilização.

Eu amo esse jogo pela arte impecável, pela qualidade da caixa, pelo conteúdo das cartas  e pela mecânica. É um jogo mais longo, se jogado no modo normal, fica pesado para os menos pelo tempo de jogo, mas vale muito a pena trabalhar com as crianças por conta do conteúdo das cartas.

Nesse jogo aparecem personagens históricos, construções , eventos, enfim, muitas coisas que aguçam a curiosidade das crianças, e rende muitas horas de conversa e curiosidade. Para os adultos alem de admirar a beleza do jogo, a estratégia de jogo é deliciosa, não sentimos o tempo passar.

Nº de Jogadores: De 1 à 4
Tempo médio de jogo: De 60 à 120 minutos
Classificação Indicativa: 14+
Classificação Pac Mãe: 12+ ( jogo com meu filho de 7 anos, mas no modo mais rápido, pois o modo completo pode cansar um pouco para os menores)
Dependência de Idioma: Média, mas o jogo é nacional.

6. Guerra do Anel:

guerra-anel

O jogo do Senhor dos Anéis ambientado no mundo de O senhor dos anéis, de Tolkien. Cheio de Estratégia, batalhas, você percorre a terra média do lado das sombras ou dos povos livres.

É Tolkien, é Senhor dos Aneis,  é board game, é miniatura, é guerra! Acho que não preciso falar mais muita coisa.

Nº de Jogadores: De 2 à 4
Tempo médio de jogo: 150 minutos
Classificação Indicativa: 12+
Classificação Pac Mãe: 12+
Dependência de Idioma: Alta. Indico a versão em português.

5. King of Tokyo

King of Tokyo

Nesse jogo competitivo somos Monstros Gigantes, Robôs, Alienígenas e outras criaturas gigantes que lutam entre si para descobrir quem é o Rei de Tóquio.

 

Jogo lindo, competitivo, que as crianças amam. Ele é rápido, divertido  e fácil de aprender.

Nº de Jogadores: De 2 à 6 (podendo aumentar com  expansão)
Tempo médio de jogo: De 40 à 60 minutos
Classificação Indicativa: 8 +
Classificação Pac Mãe: A partir de 6 anos, à 60.
Dependência de Idioma: Moderada, se o jogo não for em português precisa traduzir as cartas.

4. Heróis e Monstros

herois-e-montros-2

Heróis & Monstros, é um card game ambientado em dentro do universo de a Última Fortaleza, com raças de fantasia medieval.

O jogo é muito bem feito, apesar de faltarem em sua caixa original algumas fichas de marcação, improvisamos em casa, para facilitar os turnos. Outro jogo colaborativo, que jogamos juntos para derrotar um inimigo. Apesar de depender muito de leitura, com a pratica as crianças possuem uma facilidade para decorar os efeitos de cada carta, o que facilita muito. Este foi o primeiro jogo que comprei em financiamento coletivo, e também rola um certo apego sentimental.

Nº de Jogadores: De 2 à 5
Tempo médio de jogo: 60 minutos
Classificação Indicativa: 14 +
Classificação Pac Mãe: 10+
Dependência de Idioma: Alta, mas o jogo é em português.

3. Possessão Arcana

possessão arcana

Possessão Arcana é um jogo de tabuleiro de exploração e Aventura no estilo “ Dungeon Crawler” que se passa em tempos atuais, em ruas e becos em que demônios tentam passar por portais entre a realidade deles e a nossa.

Esses três primeiros da lista são difíceis de escolher qual o mais querido, então deixo bem claro que foi realmente uma ordem aleatória.

São tantos motivos para amar esse jogo, que não sei nem por onde começar. É um jogo que pode ser tanto competitivo quanto colaborativo, é um jogo nacional com uma qualidade extraordinária, o desenvolvimento do jogo foi todo feito com a colaboração dos apoiadores desse financiamento coletivo, pudemos palpitar, modificar e até criar personagens. Além disso tudo, a mulher é representada no jogo como sempre deveria ser, não temos guerreiras peitudas, em trajes mínimos, sexualizadas, guerreiras são guerreiras. A atenção que a equipe deu para seu publico ao desenvolver esse jogo foi algo inédito. Pelos testes de jogo que tenho acompanhado me  parece simplesmente impecável. Em breve farei meus próprios testes e contarei pra vocês.

Deu um super orgulho de ver um jogo de tanta qualidade sendo lançado aqui no Brasil e sua realização ser possível através de financiamento coletivo, onde as pessoas acreditaram no trabalho dessa equipe.

Nº de Jogadores: De 1 à 6
Tempo médio de jogo: 120 minutos
Classificação Indicativa: 14 +
Classificação Pac Mãe: 10+ pela mecânica/ 12+ pela temática
Dependência de Idioma: Nenhuma

2. Zona Mágica

Zona magica

Zona Mágica é um Board Game moderno, repleto de referencias, onde cada jogador é um mago competindo pela vitoria em um torneio!

Como já disse,  esses três jogos da lista se confundem e não sei bem qual deles é o mais querido.

Zona Magica é lindo, cheio de referências ao mundo Geek/Pop como filmes, livros, series, hq’s, animes.  A arte desse jogo chega a fazer uma lagriminha escorrer de emoção, é lindo e alem disso possui miniaturas de magos maravilhosas, que dá vontade de morder.

Mais um jogo nacional, mais um jogo de qualidade, mais um jogo de financiamento coletivo, mais um jogo que será possível pelo apoio da galera que acreditou no projeto.

Nº de Jogadores: De 3 à 5
Tempo médio de jogo: 120 minutos
Classificação Indicativa: 14 +
Classificação Pac Mãe: 8+
Dependência de Idioma: Alta, mas o jogo é nacional

1. Drillit

drillit

Drillit! A fuga da montanha de cristal é um jogo cooperativo onde cada jogador controla um Gnomo especialista que deve cumprir seu papel para proteger o tanque, se defender de Goblins invasores enquanto procuram a saída da montanha de Cristal.

Esse  jogo está muito bem feito,  é super bem elaborado, e possui com peças de acrílico muito fofas. É um jogo nacional, também em financiamento coletivo, o que já ganha meu coração.

Participei de playtests desse jogo, e só posso dizer que é viciante. A gente joga, joga, joga, e quer jogar mais até conseguir fugir da montanha de cristal. É nítido que o jogo foi exaustivamente testado, e que está perfeito.

Já  estou com a resenha deste jogo à caminho para contar todos os detalhes para vocês.

Nº de Jogadores: De 2 à 4
Tempo médio de jogo: 30 minutos
Classificação Indicativa: 8 +
Classificação Pac Mãe: A partir de 6 anos, à 60.
Dependência de Idioma: baixa, mas pode ser facilmente decorado e o jogo é nacional.

Espero que tenham gostado da minha primeira lista de Board Games. Se tiverem alguma duvida, ou sugestão de teste de jogos,entre em contato. Ficarei muito feliz em responder.

Ly Pucca

Eu sou música, eu sou Rock, eu sou Beatles, eu sou paixão;
Eu sou mulher, eu sou mãe;
Eu sou dormir pouco, e comer muito;
Eu sou amigos, eu sou espírito, eu sou old, eu sou new;
Eu sou Vader, Maul e Luke, eu sou Yoda;
Eu sou foto, eu sou arte,eu sou Pucca!

Talvez você goste de: