Dia das Mães | Dicas de presentes não-sexistas para o Dia das Mães

Recebemos na fanpage um pedido de ajuda:

ajuda

Nossa primeira reação foi: Pano de prato? Em 2015? Aí fizemos um brainstorming interno e chegamos à conclusão de que o questionamento não deveria ser só do pano de prato, mas do Dia das Mães em si. Não nos entendam mal: nós somos mães e adoramos ser celebradas, mas não conseguimos ver sentido em uma data especial onde estereótipos de gênero são reforçados e diferentes configurações familiares são ignoradas.

Sim, porque existem famílias sem mãe, famílias sem pai, famílias com duas mães e famílias com dois pais, além de famílias sem pai ou mãe. Mesmo que a comemoração tente se dar de uma forma neutra, como é o caso da escola do meu filho onde não se fala em Dia das Mães, mas em “Musas da minha vida”, até uma criança de 3 anos é capaz de perceber que uma festa no mês de maio para celebrar a principal figura feminina da sua vida apenas ressalta a existência ou não da mãe.

No fim das contas, nós preferimos a abolição do Dia das Mães e do Dia dos Pais e somos a favor do “Dia da Família” ou “Dia de Quem Cuida de Mim”. Em 2012 foi instituída a celebração anual do Dia Nacional de Valorização da Família no dia 21 de outubro. Várias escolas da rede pública já aboliram a celebração tradicional em favor de uma festa mais abrangente e, aos poucos, escolas particulares fazem o mesmo.

Se o Dia das Mães for inevitável, ainda nem começamos a falar de um outro problema que permeia a data: o consumismo. A ideia de que um presente é algo necessário para marcar a data é completamente equivocada e não deveria ser incentivada nas escolas. E o pior: algo escolhido pela coordenação da escola, sem participação das crianças no processo decisivo ou produtivo, apenas confirma para os pequenos que o importane é ganhar algo, independente do que seja.

Perguntamos na própria fanpage o que es leitores gostariam de receber como lembrancinha e recebemos várias respostas legais, mas praticamente todas tinham em comum uma exigência: tem que ser algo feito pela criança. Joyce, nossa pedagoga de plantão, analisou as sugestões e fez uma lista de dicas para orientar escolas na escolha da lembrancinha:

1- Foi FEITA pela criança;
2- Algo que seja útil e não uma tralha a mais na casa da pessoa;
3- Reutilização de materiais recicláveis é legal, mas tem um limite. Às vezes coisas feitas com PET, por exemplo, levam tanta cola e pintura que acabam indo pro lixo e muita coisa colada impede que esse material seja reciclável;
4- Não seja algo clichê e nem genderizado. Quando a criança não tinha mãe eu conversava com a criança e perguntava quem era a pessoa que mais cuidava dela, muitas vezes era o PAI! Acho que pelo menos 90% dos pais não usam batom vermelho! E a maioria das vovós dos bairros em que trabalhei não dirigiam carros para ganharem coisas para carros;
5- A lembrancinha tem que combinar com os hábitos e costumes daquela comunidade e caber no bolso das pessoas, nas escolas públicas quem arca com isso são sempre as professoras, nas particulares eles mandam a conta pros próprios pais;
6- A criança tem que ter liberdade de fazer quantas ela achar necessário, uma vez uma criança estava triste pois não sabia a quem dar o “presente” (eu tinha explicado que o presente deveria ser dado a pessoa que cuida) ela queria dar para a avó, mas a mãe ia ficar triste, então falei pra ela fazer 2. Também já tive aluno com 2 mães;
7- As ideias precisam ser sustentáveis. Às vezes a professora fica HORAS recortando um treco de E.V.A. só pra enrolar um bombom de um jeito bonitinho… A mãe come chocolate e joga a embalagem no lixo em 2 minutos.

Com isso em mente, separamos algumas sugestões que podem ser feitas com crianças do ensino infantil ao fundamental e que servem como lembrancinha para qualquer data comemorativa sentimental:

1- Porta retrato de papelão, palito de sorvete ou outra técnica:

2- Ecobag ou camiseta decorada, pintada pela criança, pode-se pintar com tinta ou caneta para tecido, estampada com a técnica do giz de cera e lixa de parede, desenhada com cola especial, ou com tinta de tecido diluída e aplicada com válvula spray.

3- Jogo. Pode ser feito com pedrinhas, tampinhas de garrafa ou para crianças mais velhas, costurado. Envie com uma mensagem “Para nos divertirmos juntos”.

5- Um belo cartão ilustrado pelas crianças. A partir dos 5 anos o professor pode servir de escriba e escrever o que a criança pede, também colocaria nessa modalidade uma cartinha.

6- Chaveiros legais ou marcadores de livros.

7- Canecas, xícaras ou pratos decorados. Pode ser de forma industrial (o que vai sair caro), ou com canetas específicas para isso.

9- Pote de vidro decorado pelas crianças. Pode ser recheado de guloseimas, pode se transformar em um porta-retrato ou em um terrário!

10- Ou o professor com turmas pequenas pode ajudar cada aluno a desenvolver um projeto especial de presente que combine com a pessoa que vai ser presenteada, em turmas pequenas é possível cada criança escolher o que mais combina com a família. Quem disse que precisa ser tudo igual?

Algumas ideias bônus:


Siga o painel Dia das Mães sem sexismo de Pac no Pinterest.

Nanda Café

Nanda Café

Feminista que faz ballet e adora cor-de-rosa. Gosta de RPG, fantasia medieval, anime água-com-açúcar e é #teammarvel apesar de Sandman ser da Vertigo. Começou a estudar Quenya, mas como não dava pra fazer isso enquanto comia, desistiu de ser elfa e admitiu para si sua natureza hobitesca.
Nanda Café

Talvez você goste de:

  • O Pitoresco

    Titulo interessante. Eu ia ler até o final pra saber das dicas de presente mas não aguentei o mimimi dos três primeiros parágrafos.

  • Fernanda

    Ano passado, as crianças fizeram uma pintura em azulejo pra dar de presente. Achei fofo porque cada criança fez o seu, e dá pra pôr na decoração da casa (tenho desenhos pendurados pela parede toda, rs).

  • Pingback: Dia das Crianças - dicas Pac Mãe de presentes originais e criativos()