Final Fantasy | Brave Exvius é um ótimo RPG para quem tem filhos!

Assim como a Nanda perfeitamente exemplificou no lançamento de Heroes of The Storm, depois da maternidade muitos dos nossos antigos hábitos acabam mudando e manter certos hobbies fica bem mais difícil. Como encontrar 200 horas para zerar decentemente um Final Fantasy da vida quando as horas de descanso são cada vez mais escassa, com trabalho, estudo e um ou mais geeklings que precisam de atenção em casa? Complicado.

Tela inicial ©2016 SQUARE ENIX CO.

Tela inicial ©2016 SQUARE ENIX CO.

Por isso, gostei tanto do novo título da série de RPG desenvolvida pela Square Enix. Final Fantasy Brave Exvius, ou simplesmente FFBE, disponível gratuitamente para celulares com sistemas Android e iOS, é um RPG pensado especialmente para esse tipo de plataforma. É para ser jogado com a tela na vertical, inclusive, o que eu acho bem mais confortável em relação à jogos para celular.

Menu principal ©2016 SQUARE ENIX CO.

Menu principal ©2016 SQUARE ENIX CO.

FFBE resgata muito elementos tradicionais de Final Fantasy, como as batalhas por turno, o que pode agradar os fãs de J-RPG. A aparência remete aos jogos iniciais da série, a trilha sonora é bem clássica, inclusive com o tradicional toque de vitória ao fim das batalhas. As ilustrações de Yoshitaka Amano também estão presentes e lindas, como sempre.

O jogo traz a possibilidade de jogar com personagens clássicos, entre outros criados exclusivamente para esse título. As magias, as armas, limites, os Espers (ou summons), os Chocobos, todos esses elementos clássicos estão aliados ao que tem de mais comum em jogos de celular hoje em dia, como possibilidade de adicionar amigos para ganhar recompensas, missões diárias, opções pay2win (“pagar para vencer”), que não chega a ser tão agressivo assim. Dá para se divertir e desenvolver seus personagens sem pagar nada, a não ser que você realmente faça questão de ter certos itens ainda no começo do jogo.

A jogabilidade é muito simples, baseada em missões (quests) que podem ser completadas numa média de 5 minutos, e por isso é um jogo acessível para quem tem uma vida atribulada.  É totalmente possível fazer uma missão, parar para resolver alguma coisa e retomar um pouco mais tarde.

Durante as batalhas, temos as opções de definir a ação de cada personagem (ataque, defesa, magia, item, limite, etc) ou utilizar a função “Auto”, onde fica padronizado o ataque simples. O máximo de units (personagens) que podem ser colocados no grupo são cinco e para cada quest o jogo oferece a opção de adicionar um “companion”,  que seria um outro jogador de FFBE.

A vantagem de jogar com um companion é que ambos recebem o chamado Friends Point, que é usado para trocar por novas units (personagens). É possível adicionar os companions à sua lista de amigos, caso tenha interesse. Assim cada um recebe uma quantidade maior de Friends Points por batalha. Também é possível vincular seu jogo ao Facebook e convidar seus amigos para jogar.

Missões diárias ©2016 SQUARE ENIX CO.

Missões diárias ©2016 SQUARE ENIX CO.

Para quem não curte esses esquemas pay2win, a dica é sempre que possível completar as missões diárias, as missões secundárias que surgem ao longo da história e ficar atento aos eventos para ganhar as recompensas. Isso tem sido o suficiente para prosseguir com a história sem dificuldades até agora, com uma semana de jogo. Mas pelo que deu para sentir, não deve mudar muito no longo prazo.

Missão ©2016 SQUARE ENIX CO.

Missão secundária “Um homem adulto gostaria de brincar de esconde-esconde com você. Faça um limpa pela cidade para encontrar seu esconderijo. Ou apenas deixe-o esperando lá e dê uma boa risada” ©2016 SQUARE ENIX CO.

Apesar da possibilidade de jogar com personagens de Final Fantasy anteriores, a história de FFBE é totalmente original. O jogo apresenta Rain e Lasswell, cavaleiros do reino de Grandsheld que recebem o poder das Vision, os sonhos e esperanças de guerreiros lendários, quando os Cristais do reino são colocados em perigo. Esse poder é dado por Fina, uma garota misteriosa que surgiu no Cristal da Terra, sem memórias do seu passado. Os três se unem para impedir a destruição de todos os cristais pelos Sworn Six of Paladia (“Seis Jurados de Paladia”), liderados por Veritas, cujo as suas reais intenções são desconhecidas.

Os diálogos e andamento da história são bem leves e com bom humor, como podemos ver naquela imagem da missão secundária. Tem sido bem satisfatório jogar um novo Final Fantasy que é compatível com uma vida corrida e que ao mesmo tempo resgata o espírito da franquia que sou fã há uns bons anos. Recomendo!

Personagens ©2016 SQUARE ENIX CO.

Fina, Rain, Lasswell e Veritas ©2016 SQUARE ENIX CO.

O jogo está disponível em inglês, francês, alemão, espanhol, coreano e chinês tradicional. Infelizmente não tem versão em português.

Trailer:

Daniela Bandeira

Daniela Bandeira

Mãe do Lucas (5), amante da cultura japonesa, literatura, cinema, animações, séries, games, música e tudo que envolve Disney. Formada em Língua e Literatura Japonesa, porém não atuante na área. Tem a fotografia, a culinária e a costura como hobbies e sonha dar a volta ao mundo.
Daniela Bandeira

Últimos posts por Daniela Bandeira (exibir todos)

Talvez você goste de:

  • Thiago Oliveira

    Comecei a jogar e estou gostando muito, lembra os clássicos!