Quarto Infantil | Decoração espacial e especial

Por Brunella Brunello

Amo ser mãe de menino. Na gravidez, o meu enjôo era dos enxovais que via… A vendedora me mostrava urso e eu pedia dinossauro. Vinha um barco e eu queria um navio pirata. Eu até encontrava coisas mais emocionantes, mas só para cama de solteiro. Nada, nadinha, para um berço.

O kit de higiene (aquela bandeja com água morna, algodão…) eu mesma montei. E fiquei pelos azuis e verdes, meio sem tema, até o Antonio crescer um pouquinho. Tudo se definiu quando ele assistiu Toy Story. Foi com um aninho, e Buzz Lightyear já recebeu as mais diferentes pronúncias. Naquele ano a avó paterna do Antonio viajou e trouxe do Air and Space Museum, do Smithsonian Institute, um ursinho astronauta. No ano seguinte a minha mãe visitou o mesmo museu e trouxe várias coisas legais: um ônibus espacial, bonequinhos astronautas, estrelas para colar no teto e um pôster do sistema solar com fotos da NASA. Antonio já tinha passado dos dois anos, não queria mais saber do berço, e vivia gritando “ao infinito e além”.

Pronto, Né?! Tudo o que eu precisava era de um cenário para meu pequeno patrulheiro espacial – e que o meu mini-espaço se transformasse num ambiente capaz de instigar a imaginação do Antonio a viajar e conhecer o universo. A cama foi feita por um marceneiro, com dois gavetões que “engolem” todos os brinquedos: de um lado brinquedos maiores (caminhões, tratores, e caixas de jogos), de outro os menores (bonecos, carros, aviões, máscaras e um exército formado pelo elenco de Toy Story e seus vários clones – separados em caixas e cestas organizadoras). Nas gavetas, o marceneiro usou um sistema de rodízios que impede de prender o dedo – e que funciona, de verdade.

A parede do fundo foi pintada de azul porque imaginei que faria vários adesivos de elementos separados (planetas, naves, etc). Na loja de adesivo de parede, o rapaz disse que seria melhor (e duraria mais) fazer inteiro. Ele reproduziu no adesivo a cor exata da parede, pegou várias referências que eu levei e desenvolveu a arte. Moro no Espírito Santo e fiz o adesivo de parede na Impressione, loja que fica no Centro de Vila Velha. A qualidade do adesivo é muito boa, mas me aborreci demais com a entrega e instalação.

Uma peça avulsa de EVA (tem 1x1m) resolveu bem a questão de sentar no chão frio – e é moleza de limpar, comprei em loja de brinquedos. A mesa de desenho é da Step 2 e é uma maravilha. Tem várias caixinhas e o tampo levanta e vira um quadro branco, que também tem um clip para pendurar o papel. Antonio vive riscando a mesa, mas uma esponja é o suficiente para deixar nova. Ela também tem um espaço na parte de trás para segurar blocos de papel, cadernos, etc. Comprei pela internet depois de muita pesquisa, porque o preço dela variava demais.

O adesivo de parede de quadro branco é da Etna, e os adesivos cinzas de planetas, estrelas e naves são da etic-etac. Os dois foram presentes de uma tia que mora em São Paulo. O sapo verde (que está na cama) é da Imaginarium e é o bicho mais resistente que já vi. O cesto colorido com os livros é dobrável e foi comprado há muito tempo em um supermercado. O palhacinho de madeira (na mesa de desenho) e o joguinho do golfinho (no chão) são da Goki. Também na mesa, o carneiro e a flor são do jogo de dedoches, da linha do Pequeno Príncipe da Tok & Stok.

E o quarto estava cheio de balões porque fizemos uma festa de desaniversário (ele adora o chapeleiro maluco). Mas acho que farei coisas do tipo sempre, para o ambiente ficar mais divertido e mais lúdico.

Ainda há por fazer: almofadas mais legais para o chão, colocar outra placa de EVA, mais espaço para os livros… Ele vai crescendo e as necessidades vão mudando.

E vocês: também tiveram dificuldade para encontrar coisas bacanas? Botaram a mão na massa?

Talvez você goste de: