Livros | Porque O Livro Sem Figuras é um dos melhores livros infantis do mundo

Ano passado eu celebrei na fanpage, na comunidade e pra quem mais quisesse ouvir, o lançamento de O Livro Sem Figuras, de B. J. Novak, pela Editora Intrínseca aqui no Brasil. Eu acompanho o trabalho de Novak desde The Office e quando vi o primeiro trailer, já fiquei muito ansiosa para saber quem o traria pro Brasil.

O livro foi lançado no primeiro semestre de 2015 e, graças à nossa parceria com a Editora Intrínseca (olha o selinho ali ao lado), nós ganhamos um exemplar para contar pra vocês se o livro é tão engraçado assim mesmo.

Não é. É muito melhor do que o trailer.

Todas as vezes que vamos a uma livraria, Benjamin acha esse livro e me coloca pra ler para todas as crianças presentes. Ele já sabe o livro decorado (inclusive as palavras inventadas escritas na contracapa) e fica murmurando comigo, mas mesmo já tendo lido centenas de vezes – e eu não estou exagerando – ele sempre cai na gargalhada, assim como as crianças da recém-formada platéia. (Ele agora está tentando me convencer a gravar snaps lendo o livro – eu estou tentando convencer a ele de fazê-lo).

Eu adoro ler para crianças, particularmente para meu filho. Invento vozes para os personagens, acrescento inflexões, viro a performática. Mas confesso que às vezes, com livros ilustrados, a necessidade de interpretação na leitura pode se tornar um pouco secundária: a criança obviamente vai olhar mais para a figura colorida do que para o adulto. É a ideia, afinal,

Por isso O Livro Sem Figuras é tão fantástico. Ele exige essas inflexões, vozes e expressões faciais. É uma experiência a ser compartilhada entre adulto e criança que exige atenção e participação de ambos, porque o livro é um diálogo entre o leitor e o ouvinte. Ele pergunta: “Eu preciso mesmo continuar lendo?” o que mantém a atenção das crianças e a hilaridade ao submeter o adulto a falar coisas como “Eu sou um tamanduá robô”.

Não é um livro cheio de botões que produzem sons, ou personagens conhecidos, ou pop-ups magníficos. É um livro: capa dura, papel, letras. Sem figuras. Que exige mais dos adultos, mas extrai muito mais das crianças, até mesmo as mais novas. Item de primeira necessidade em qualquer biblioteca infantil.

Nanda Café

Nanda Café

Feminista que faz ballet e adora cor-de-rosa. Gosta de RPG, fantasia medieval, anime água-com-açúcar e é #teammarvel apesar de Sandman ser da Vertigo. Começou a estudar Quenya, mas como não dava pra fazer isso enquanto comia, desistiu de ser elfa e admitiu para si sua natureza hobitesca.
Nanda Café

Talvez você goste de: