Maternidade | Meu filho Draculaura

Há alguns dias eu encontrei o post de Jill Topol no Huffington Post. Eu estava me preparando para dormir, mas o título imediatamente me chamou a atenção. Sempre colocamos por aqui histórias de meninas que desafiam estereótipos de gênero, e recentemente nos questionaram onde estavam os meninos que faziam o mesmo. Por que era tão difícil aceitarmos meninos incorporando figuras femininas sem ridicularização e como empoderamento?

Apesar de já termos falado sobre o tema, achei o depoimento de Jill de uma sensibilidade tocante. Jill escreve o blog Super Goodie Bag e nos autorizou a traduzir e repercutir a história de Max, que foi vestido de Draculaura, do Monster High, para a festa de Halloween da escola. Com a palavra, Jill:

Meu filho Max é a pessoa mais confiante que eu já conheci em toda minha vida. Esse ano, para a festa de Halloween da escola, ele foi vestido como Draculaura, de Monster High. A escolha de se vestir como um personagem feminino não é nova para ele. Com apenas 7 anos de idade, ele já se vestiu como Princesa Leia e Padmé Amidala de Star Wars, Clawdeen Wolf de Monster High e Mulher Gato. Quando ele era mais novo, ele não se preocupava nem um pouco com o que seus colegas poderiam pensar de suas escolhas “femininas”, mas à medida em que envelhece, ele começa a se preocupar.

Crianças (e alguns adultos) podem ser muito cruéis, e isso está finalmente começando a afetá-lo. Um menino em fantasias “de menina” o torna um alvo fácil para bullies, e excelente fofoca para as mães. Eu sei que eu o estou “entregando para os lobos” quando eu o deixo ir a um evento da escola vestido do sexo oposto, mas qual seria a minha outra opção? Dizer que ele não pode ser quem ele é porque alguma criança estúpida e seus pais se sentem desconfortáveis perto do meu filho. Não vai acontecer enquanto eu estiver olhando. Não enquanto eu for sua mãe.

Desnecessário dizer que ele acabou se divertindo muito na festa de Halloween. Os amigos de Max e seus pais são incríveis e sempre o aceitaram de braços abertos, não importa o quão purpurinado e fabuiloso ele seja. Sim, houveram algumas pessoas encarando e sussurrando (pais, na maioria), mas como eu sempre tentei fazer meu filho acreditar, não podemos nos preocupar com o que as outras pessoas pensam. Meu filho é educado, sensível, amável e tem um coração de ouro. Ele é perfeito.

O meu filho está virando hetero, gay, bi, trans ou metrosexual? Não tenho ideia, mas eu sei que o que quer que Deus (ou qualquer poder superior) queira que ele seja, ele é incrível. Ele é mais forte e mais seguro do que a maioria dos adultos. Eu mal posso esperar para ver a linda fantasia que ele irá planejar para o próximo ano. Tenho certeza de que será fabulosa.

Nanda Café

Nanda Café

Feminista que faz ballet e adora cor-de-rosa. Gosta de RPG, fantasia medieval, anime água-com-açúcar e é #teammarvel apesar de Sandman ser da Vertigo. Começou a estudar Quenya, mas como não dava pra fazer isso enquanto comia, desistiu de ser elfa e admitiu para si sua natureza hobitesca.
Nanda Café

Talvez você goste de:

  • Pingback: Meu filho Draculaura – Guest Post por Jill Topol | Tudo é Notícia!()

  • Luiz Prata

    <3

  • Pingback: Review Barbie Rock´n Royals()

  • Camilla Werner

    Orgulho de ver cada dia mais mães assim. O futuro tem chances de ser um lugar muito melhor <3

  • Marcus Lucon

    Nanda, apesar de vc ser #teammarvel, eu vou te dar um desconto porq vc também gosta de Sandman e Vertigo…

    Eu desde pequeno recebo olhares tortos porq sempre amei a Mulher Maravilha e, claro, por ser gay… meu interesses nunca estiveram no universo dos meninos, era desde cedo nerdizinho, amava HQs e as animações da TV de superheróis (Superamigos, Thundercats, She-ra etc). Nunca tive vontade de me vestir como ela, mas ela sempre foi dona do meu coração… olha minha vela de aniversário dos meus 8 anos… na foto está um tanto desfocada, mas taí, a Maravilhosa… cresci e continuo fã e agora coleciono action figures e outros artigos da Princesa Diana. Tenho inúmeras referências femininas na minha vida, as mulheres sempre foram as donas do poder no meu universo, sobretudo minha mãe que sempre foi uma mulher de muita garra e, sou agradecido eternamente por ela não ter me censurado quando eu quis essa vale, pois essa foto é a lembrança mais querida da minha infância.

    Eu acredito sinceramente que um dia viveremos num mundo onde preconceitos e machismos deixarão de existir e um menino poderá admirar uma figura feminina, indiferente de ser gay ou não, e isso não causará mais espanto, pois esses conceitos patriarcais terão caído por terra e será muito simples para uma criança entender que mulheres são figuras super admiráveis.

    Fiquei apaixonado pela história do Max, gostaria de ter tido toda essa confiança dele na minha idade.

  • Que orgulho que fiquei dessa mãe. Tá certa, vai censurá-lo por causa do que os outros vão pensar? Não, incentiva o filho a fazer o que se ama e a gostar das coisas dele e a ser confiante! Isso é lindo demais! <3