News | Garota de 8 anos faz Disney Store do Reino Unido abandonar separação de produtos por gênero

Recentemente postamos sobre a suposta alteração na divisão por gênero no site da loja virtual Amazon.com. Essa semana, o jornal The Guardian nos emocionou com um caso semelhante: a história de Izzy Cornthwaite, garotinha fã de Star Wars que pediu à sua mãe uma fantasia de Darth Vader e um sabre de luz no seu aniversário de 8 anos.

Acontece que ao acessar o site da loja virtual Disney Store Uk, ela ficou arrasada ao descobrir que a fantasia estava descrita como “para meninos” e considerou que não poderia tê-la por causa disso. Após uma conversa com sua mãe à respeito de estereótipos de gênero, ela decidiu escrever para a Disney Store e explicar a tristeza que sentiu pela forma que a fantasia era classificada no site. Uma semana depois ela recebeu a resposta da loja:

A descrição dessa fantasia foi alterada agora, uma vez que nós entendemos que todos os nossos pequenos Jedis apreciam Star Wars.

Na mesma hora Izzy foi checar pessoalmente no site e, para sua grande surpresa, não só a descrição da fantasia foi alterada, mas todos os produtos da loja, sejam princesas ou heróis, agora estão classificados como “para crianças”. A Disney Store Uk eliminou totalmente de seu site as divisões “para meninos” e “para meninas”!! Infelizmente essa alteração ainda não aconteceu na versão americana do site.

disneystore

A mãe de Izzy, Rebecca, comentou na reportagem sobre essa questão de gênero nas lojas de brinquedo:

Se você visitar uma loja de brinquedo, você realmente verá os meninos e as meninas irem para as respectivas seções separadas por gênero. Alguns argumentarão “No que isso importa?”. Nós sabemos que as mulheres são mal representadas em várias profissões e eu sinto fortemente que eu não quero que Izzy desista de uma carreira no futuro porque é um “trabalho de garotos”, quando eu sei que ela é capaz de fazer qualquer coisa que seu coração desejar.

c0012b80-f818-494d-8c65-393c25e51025-680x1020

Izzy como Darth Vader. Foto: Rebecca Heyes

Foi uma conquista significativa a que Izzy conseguiu. A Disney está se tornando o alvo mais recorrente nesses casos de segregação de gênero porque insiste em falhar no quesito de representação feminina além das princesas. Fica aqui a esperança de que esse ocorrido seja um sinal de que a empresa finalmente está compreendendo que a demanda está mudando e nem as crianças não estão aceitando mais essa limitação do mercado. E também a alegria em ver que são as próprias crianças que estão atuando como principais agentes dessa mudança!

Daniela Bandeira

Daniela Bandeira

Mãe do Lucas (5), amante da cultura japonesa, literatura, cinema, animações, séries, games, música e tudo que envolve Disney. Formada em Língua e Literatura Japonesa, porém não atuante na área. Tem a fotografia, a culinária e a costura como hobbies e sonha dar a volta ao mundo.
Daniela Bandeira

Talvez você goste de:

  • Ana Paula Schmidt

    Minha filha tbm tem 8 anos e ama o Darth Vader. Ela não gosta das princesas da Disney porque segundo ela, elas ficam paradas esperando o Príncipe vir e salvá-las e isso não tem a menor graça. No máximo que ela curte é a Mulan, pq ela vai pra guerra.

    • Vitor Urubatan

      Mulan é uma das poucas “princesas” que tem uma personalidade forte.
      Mas não tira sua delicadeza e sensibilidade, isso sim é um personagem femino maneiro rsss.

      A quem diga que Mulan realmente existiu.
      Rsss isso só me faz gostar ainda mais da personagem.

      Parabéns para sua filha Ana Paula Schmidt.

  • Pingback: Blog | Psicoterapeuta questiona decisão da Target de acabar com setores divididos por gênero - Pac Mãe()