News | Mãe alerta supermercado Target para sinalização de gênero desnecessária

Indo contra a atual tendência de eliminação de separação gênero em produtos infantis, principalmente brinquedos, o supermercado Target, que já foi alvo de reclamação anteriormente por causa de uma camiseta masculina sexista, foi alertado agora por uma consumidora, a mãe Abi Bechtel, através do Twitter, por causa de separação de gênero desnecessária na seção de brinquedos infantis na loja da cidade de Green, em Ohio, nos Estados Unidos.

“A placa indica que garotas não fazem parte do mercado pretendido para blocos de montar. Os blocos de montar padrões são para meninos e existem alguns especiais, diferentes, para meninas”, Bechtel disse por email ao Huffington Post.

 

“Eu postei o tweet porque a sinalização me pareceu problemática em vários níveis — primeiro, por causa da forma como eles definiram os blocos de montar para meninos como o normativo/genérico e os de menina como o especializado/outro; e segundo, porque é como um encapsulamento o que a Target (e muitas outras lojas) persistem em separar por gênero brinquedos que não precisam dessa separação” ela disse em outra entrevista ao Daily Dot.

 

Uma porta-voz da Target respondeu ao Daily Dot que:

 “Na Target, temos o objetivo de proporcionar escolhas aos nossos clientes. Em nosso departamento de brinquedos, oferecemos uma ampla variedade de brinquedos indispensáveis, únicos e diferenciados, que crianças de todas as idades, estágios e interesses vai amar. Nós sabemos que as amílias estão com o tempo apertado e em busca de inspiração. Sendo assim, nós continuamente exploramos como organizar nossas lojas e website da forma que que for mais conveniente, atraente e util para os nossos clientes.

Ela continua dizendo que a rede já tentou mudar a forma de sinalizar seus produtos:

“Nessas lojas, nossa pesquisa com o consumidor nos mostrou que eles preferem ter uma variedade de indicadores que possam ajudar a informar e orientá-los durante suas compras. Além disso, no site Target.com, quando os clientes compram brinquedos, a maioria começa por uma pesquisa filtrando os brinquedos por marca, idade e gênero”.

E completa dizendo que a Target “vai continuar ouvindo seus clientes e com a comunicação”, mas não existem planos para mudanças quanto às classificações de gênero. Quando questionada sobre a separação dos brinquedos entre “blocos de montar” e “blocos de montar para meninas” soar sexista, a porta-voz respondeu que “não foi absolutamente a nossa intenção”.

É uma resposta que não agrada de forma alguma, porque ao mesmo tempo que eles estão cientes da má classificação dos brinquedos, não tem a intenção de mudar. Lamentável.

Daniela Bandeira

Daniela Bandeira

Mãe do Lucas (7), amante da cultura japonesa, literatura, cinema, animações, séries, games, música e tudo que envolve Disney. Formada em Língua e Literatura Japonesa, porém não atuante na área. Tem a fotografia, a culinária e a costura como hobbies e sonha dar a volta ao mundo.
Daniela Bandeira

Talvez você goste de: