Review | O Ultimo Cine Drive-In

Hoje estréia O Ultimo Cine Drive-In, produção nacional dirigida pelo cineasta brasiliense Iberê Carvalho e que vem encantando o público por onde passa. Ganhador de vários prêmios em festivais de cinema, incluindo 4 categorias no Festival de Cinema de Gramado, conta, numa narrativa simples e cativante, a história de uma família que se entrelaça com a história do próprio Drive-in.

O Ultimo Cine Drive- In

Fátima, que está internada mas sempre mantêm o bom humor.

Marlonbrando (Breno Nina) está cuidando de sua mãe, Fátima (Rita Assemany), que está internada em um hospital público em Brasília. Quando é impedido de continuar como acompanhante dela no hospital, se vê obrigado a procurar seu pai, Almeida (Othon Bastos), com quem não tinha contato há muitos anos.

Ele invade de madrugada o terreno do Cine Drive-in, que pertence a Almeida, e é encontrado na manhã seguinte por Paula (Fernanda Rocha), que trabalha no local e acaba se tornando amiga dele apesar de alguns conflitos.

O Drive-in já não está como no seu auge. Já não é tão frequentado, nem sua estrutura está muito bem conservada. Mas seu dono e funcionários são apaixonados pelo lugar e se esforçam todos os dias para fazerem seu trabalho com dignidade. Porém, o cinema está com os dias contados, por causa de interesse dos mais poderosos.

marlonbrando

Marlonbrando, que faz tudo por sua mãe.

Por causa do reencontro forçado entre pai e filho, Marlonbrando e Almeida são obrigados a restabelecer o seu relacionamento. O interessante é que a história mostra os dois lados da moeda, do filho que se sente abandonado pelo pai, e do pai que acaba se afastando por orgulho, já que sua ex-mulher começou um novo relacionamento, mas que nunca deixou de pensar nos dois.

Almeida é a conexão mais forte no filme com o universo do cinema. Dá para notar só pelo nome de seu filho. É com orgulho que ele mantêm seu velho projetor, apelidado de Matusalém, e uma pasta com notícias de jornal a respeito de seu cinema ser “o ultimo cine drive-in do país”.

Também é através de um encontro dele com um amigo, também dono de cinema, mas dos mais modernos e em shopping, que vemos o contraste do antigo e do novo e de como é uma escolha pessoal dele não se deixar levar pelas novas tecnologias, como os filmes em 3D, por exemplo.

almeida

Almeida, apaixonado por cinema antigo, não desiste do Cine Drive-In.

 

Apesar de Fátima estar internada para seu tratamento, ela nunca perde seu bom humor e acaba dando mais força para seu filho do que o inverso. Porém sua doença está se agravando e Marlonbrando decide revitalizar o Drive-in para que ela tenha uma última lembrança do local, antes que ele seja fechado. Para que ela possa ir ao Drive-in, eles tem que fugir com ela do hospital, numa das sequências mais divertidas do filme.

paula

Paula é a projecionista, mas prefere ser tratada como “operadora cinematográfica”. Cheia de personalidade e carisma.

Com muitas cenas do dia-a-dia de quem trabalha em cinemas, com várias cenas com foco em projetores, filmes, o Ultimo Cine Drive-In é uma grande homenagem à uma época em que o cinema era visto de uma forma diferente do que nos dias de hoje, mas sem se tornar piegas.

Como brasiliense, confesso que o filme agrada ainda mais por ver minha cidade sendo retratada como ela é, não só pelo viés político, e através de personagens que poderiam facilmente existir de verdade, com todos os seus defeitos, mas mesmo assim cativantes. Espero que o cinema brasiliense ganhe mais força à cada dia e que o Cine Drive-in, que existe de verdade e realmente é o ultimo do país continue fazendo parte da nossa história!

Assista o trailer:
[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Krd98yb5i6U]

O Ultimo Cine Drive-In (2015)
Classificação Indicativa:  12 anos
Classificação Pac Mãe: Recomendado principalmente para amantes do cinema.
Avaliação Pac Mãe: Filme encantador para os adultos, mas sem muito apelo para crianças pequenas.

Daniela Bandeira

Daniela Bandeira

Mãe do Lucas (7), amante da cultura japonesa, literatura, cinema, animações, séries, games, música e tudo que envolve Disney. Formada em Língua e Literatura Japonesa, porém não atuante na área. Tem a fotografia, a culinária e a costura como hobbies e sonha dar a volta ao mundo.
Daniela Bandeira

Talvez você goste de: