Timeline | Jogando com crianças

Há um ano minha filha mais velha, empolgada com o exemplo de um amigo da escola que tem um canal sobre jogos digitais, chegou com a seguinte pergunta: “Mãe, posso ter um canal no Youtube?”
A ideia de fazer um canal de vídeos com elas jogando jogos de tabuleiro já tinha me passado pela cabeça. Existem diversos canais sobre o assunto, mas nenhum onde a criança seja a protagonista. Pelo menos que eu tenha conhecimento. Por isso sugeri que ela falasse exatamente sobre jogos de tabuleiro. A ideia foi prontamente aprovada pela Dora, e o primeiro jogo escolhido foi o Timeline.

 timeline_01

Melhor escolha impossível. Jogo simples, fácil de explicar e educativo.
Timeline é um jogo de cartas que de um lado tem um acontecimento e do outro a data em que ele ocorreu. Cada jogador recebe no início 3 cartas, com a parte da data virada para baixo. Não sendo permitido olhar a data, claro, se não estraga o jogo. Abre-se uma carta na mesa, essa sim com a data para cima. O primeiro jogador deve escolher uma de suas cartas e posicioná-la conforme a linha do tempo, antes ou depois do acontecimento já revelado. Caso a posição escolhida esteja certa, a carta fica na mesa, e o jogador um passo mais perto da vitória. O objetivo do jogo é acabar com todas as cartas. Aquele que conseguir primeiro é o vencedor.

Caso ele tenha errado a posição, a carta é descartada e o jogador compra uma nova. E assim sucessivamente. Cada vez que uma carta é colocada corretamente, o jogo vai ficando mais difícil, pois existem mais opções de posicionamento. Com duas cartas, por exemplo, a próxima pode ser posicionada antes das duas, entre ou depois.

Ao final da rodada, caso alguém tenha ficado sem cartas, esse jogador será considerado o vencedor. Caso mais de um tenha ficado sem cartas, eles continuam o jogo. Cada um pega mais uma carta, até que no final de uma rodada apenas um tenha conseguido acertar a posição.

A princípio, o jogo pode parece difícil para as crianças, pois tem muitos acontecimentos que elas nem ouviram falar. Devo dizer que até os adultos tem dificuldade. Mas as ilustrações das cartas podem dar dicas sobre a época. Mesmo que não se saiba a data correta é interessante fazer associações se aquele acontecimento pode ter ocorrido antes ou depois dos que já estão na mesa.

Tanto a Dora quanto a Nina gostaram do jogo, e já venceram, mesmo jogando contra adultos. Claro que eu acabo dando algumas dicas ou chamando a atenção para algum detalhe, fazendo-as pensar qual seria a posição correta.

Aqui no Brasil ele foi lançado pela Galápagos Jogos em duas versões: Vários Temas e Invenções. Lá fora tem outros temas como Música e Cinema, Descobertas, Eventos Históricos entre outros. O interessante é a possibilidade de se misturar as cartas, inclusive deixando o jogo até mais difícil!

timeline_cxs

Mas e o tal canal no Youtube? Gravamos sobre Timeline em dois dias. No primeiro com a participação da Nina, e no segundo sem a participação dela. Como na segunda versão a Dora estava mais segura nas falas, foi o que acabei publicando. Vocês podem ver o vídeo AQUI.

Os vídeos a princípio não tem um objetivo de ensinar propriamente as pessoas como jogar os jogos, principalmente aquelas que já são jogadores experientes. Mas espero que sirva como um incentivo para outras crianças à jogarem com seus pais e para se envolverem nesse mundo maravilhoso dos jogos de tabuleiro.
Além disso, inevitavelmente uma hora as crianças desejam fazer parte das redes sociais. Sempre pinta aquela dúvida de quando é a hora certa, ou como lidar com o mundo da internet e as crianças, ainda mais com tanta coisa que se fala por ai. A necessidade de um controle é óbvia, as crianças não tem ainda a capacidade de filtrar as informações recebidas. Uma simples busca de vídeos no Youtube pode levá-las a vídeos que nem de longe são próprios para a idade delas. Além das interações com desconhecidos, motivo de grande preocupação. E por mais que a gente queira, é humanamente impossível estar ao lado delas o tempo todo.
A própria escola vem requerendo cada vez mais que a criança use o computador, seja para ver vídeos específicos, procurar informações, escrever textos ou montar apresentações em power point.
Por isso que achei interessante o tema desse canal do Youtube, pois é uma coisa que faço junto delas, e posso aos poucos ir explicando como funcionam as coisas e como agir em determinadas situações.

hey-thats-my-fish

Desde que criamos o canal gravamos mais dois vídeos. O segundo foi sobre o jogo Hey That’s My Fish, que infelizmente ainda não tem no Brasil. O jogo é para 2 a 4 jogadores. Cada um terá uma certa quantidade de pinguins, conforme a quantidade de jogadores. O tabuleiro é montado através de peças contendo o desenho de 1, 2 ou 3 peixes. No início do jogo cada jogador coloca um pinguim até que todos estejam no tabuleiro. Na sua vez, você deverá mover um pinguim em linha reta até chegar em alguma peça. Não podendo para isso pular locais sem peça ou locais com qualquer pinguim. Quando o jogador se move, ele pega a peça onde estava. Ao final, quem tiver mais peixes é o vencedor. O interessante desse jogo é você planejar se isolar num local grande, para poder ficar com todas as peças. Ou isolar os oponentes no menor espaço possível. O jogo é bem divertido e rápido.
A Funbox Jogos lançou recentemente por aqui o Sugar Gliders que é parecido com o Hey That’s My Fish. Ainda não tivemos a oportunidade de jogar, mas acredito que seja bem interessante. Vale a pena dar uma olhada na página do jogo e ver do que se trata.

sugar_gliders

Filmamos o terceiro vídeo faz pouco tempo. A Dora escolheu o jogo de cartas chamado Set. A Copag tinha a licença desse jogo há um bom tempo, e o preço era excelente. Mas infelizmente esgotou. No momento a Devir tem o jogo disponível, mas eu acho o preço salgado. Muito embora o jogo seja fantástico. 

set01

O jogo consiste em identificar um determinado conjunto de 3 cartas dentre as 12 disponíveis na mesa. As cartas têm desenhos com 4 características diferentes: 3 formas, 3 cores, 3 preenchimentos e 3 quantidades diferentes em todas as combinações possíveis. Para um conjunto (set) ser válido ele precisa ter para cada tipo de característica todas iguais ou todas diferentes. Cada vez que um set é identificado o jogador fica com as cartas e deve-se então repor 3 cartas do monte. No caso de não haver nenhum set válido nas cartas abertas na mesa deve-se abrir mais 3 cartas. O jogo acaba quando não tiver mais cartas no monte e não houver mais nenhum set válido dentre as cartas abertas. Cada conjunto de 3 cartas vale 1 ponto e o jogador que obteve mais pontos é o vencedor.
Vale a pena assistir ao VÍDEO para ver do que se trata, com as explicações da Dora e na sequência uma partida completa entre eu, ela e minha mãe.
E claro, um incentivo para a Dora (e Nina) é fundamental, então se inscrevam no canal e deixem seus comentários e sugestões!!!

Mariana Gamberger

Mariana Gamberger: Engenheira e mãe da Dora (11) e da Nina (9). Desde criança já tinha um lado nerd, mas foi com a descoberta de Arquivo-X em 1996 que as portas para outros universos se abriram, como Star Trek, Stargate, Farscape e tantos outros. Adoro ler ficção científica, assistir seriados de TV e jogar jogos de tabuleiro.

Últimos posts por Mariana Gamberger (exibir todos)

Talvez você goste de: